Quando nos referimos a uma comunidade, nosso objetivo é dar a entender que sua campanha é o centro de uma articulação entre várias pessoas, unidas em torno do propósito de viabilizar o seu trabalho. Essa comunidade vai te ajudar na missão de superar desafios e limites que seriam bem mais difíceis se você estivesse só. Pedimos para alguns fazedores(as) que contassem pra gente o que pensam e vivem sobre a relação com a sua comunidade apoiadora, indo além da questão financeira:

Vamos ver na prática alguns exemplos de como isso acontece?

Aline e Adriano – A vida em um veleiro 🙂

“Quando começamos a campanha no APOIA.se, indicado por um amigo, tínhamos muito receio da ideia. Eu e a Aline vínhamos da produção de TV e da publicidade e este formato de contribuições voluntárias parecia muito exótico para nós. Hoje por causa dele conseguimos nos dedicar 100% para o HashtagSal. Não é a única fonte de renda do projeto, mas com certeza é a mais importante, pois nos permite ter alguma segurança a medio prazo para realizar os episódios que acreditamos e com grande independência editorial.

Não foi só na parte financeira que o APOIA.se ajudou. Eu sinto que os apoiadores se sentem parte do projeto, se tornaram muito mais engajados. Criamos uma comunidade em torno da vida no mar, é como uma família. Hoje acho que é a melhor relação possível para um conteúdo ter com o seu público. Produzimos conteúdos pensando em quem assiste, patrocínios ocorrem somente quando estão absolutamente alinhados com nossos valores. Que preço tem isso para um criador que ama o que faz e acredita estar no projeto da sua vida?”

Central3 produz e mantém no ar mais de 10 podcasts!

O mais interessante da relação com apoiadores da Central 3 é que, por se tratar de uma central de podcast, as pessoas podem de forma prática contribuir com o jornalismo e a comunicação independentes. Porque há um consenso sobre o desgaste das velhas formas de se fazer projetos do tipo – as demissões das redes de TV e da maior editora do país nos últimos tempos mostram isso – e quem recebe os conteúdos se vê como um agente importante nesse fluxo. No mais, destacaria que o custo é menor que o da assinatura de revistas ou TV a cabo, então o contato vai nesse sentido: vamos fazer juntos. Mais do que a relação dos brindes ou recompensas, o ponto é esse. Conteúdo não ligado ao mercado depende de uma construção conjunta entre produtores e público, e assim tem sido. A importância de escutar quem apóia você.

Conheça as particularidades da sua campanha

Sua campanha pode apresentar mudança no ritmo de crescimento, portanto é preciso prestar atenção à lógica por trás do seu contexto. Como? De vários jeitos, mas vamos começar apontando o quanto escutar seu público é parte importante nesse processo. É igualmente importante ter autocrítica e estar preparado(a) para lidar abertamente com a sua responsabilidade na relação com o seu público, já que isso pode impactar o crescimento de sua campanha e, consequentemente, seu projeto.

Na construção e manutenção de uma comunidade, gentileza e escuta são poderosos instrumentos. Conforme você for disponibilizando suas produções para seu público, é importante também manter ao menos um canal que dê conta de receber feedbacks e outras mensagens que possam aparecer. Mais adiante falaremos mais sobre isso 😉

Não tenha medo de pedir

Há alguns anos, Amanda Palmer se tornou (ainda mais) conhecida ao conquistar um projeto de financiamento coletivo milionário pela plataforma Kickstarter. Em seu TED talk (que depois virou livro), ela diz que seu maior desafio foi (e ainda é) batalhar contra a Patrulha da Fraude, aquelas vozes na nossa cabeça que dizem que não somos capazes, que não vamos conseguir e que nosso talento e conhecimento não são nunca suficientes.

Em seu livro ela pede não para olhar o sucesso de sua campanha isoladamente, mas sim tudo o que veio antes: horas pós-shows autografando e conversando, almoços e lanches com fãs que nunca a viram antes, a interação e confiança genuínas. Ela se entregou de forma pura e em retribuição recebeu o carinho e amor de uma imensa comunidade que apoia, divulga, consome, critica, elogia, constrói seu trabalho.

Coloque o bom relacionamento com sua comunidade no mesmo patamar que coloca o dinheiro de que precisa pra viver. Entregue-se, planeje e confie. Haja com carinho e cautela, então quando se der conta você terá uma comunidade inteira de braços abertos acreditando e apoiando sua obra 🙂

Conteúdo original: Yuri Amaral
Adaptação para blog: APOIA.se

Tags:
0 shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *