Montar uma campanha de FC pode parecer trabalhoso e desafiador, principalmente se for sua primeira experiência com esse tipo de financiamento. Estamos aqui justamente pra mostrar que essas impressões são perfeitamente contornáveis com um mínimo de organização, dedicação e planejamento 🙂

Os elementos envolvidos no desenvolvimento do seu financiamento coletivo são muitos, e não podem ser vistos como impeditivos. São, na verdade potentes oportunidades pra cuidar de cada detalhe dessa jornada – que envolve essencialmente atingir suas metas a partir construção da relação de apoio que você quer estabelecer com sua comunidade apoiadora/público.

Pra acompanhar você na etapa de montagem de sua campanha de FC, criamos este material bem didático, onde você terá uma visão geral sobre o que lhe aguarda e também terá dicas mais específicas sobre cada parte do processo de organização pré-campanha, busca por referências, prazos e persistência.

Tendo uma boa noção sobre o que está por vir, fica mais fácil se preparar!
Vamos lá?!

Organize-se em etapas

A sensação de riscar tarefas concluídas de uma lista é maravilhosa, certo? Faça o mesmo com a montagem de sua campanha! Um planejamento prévio ajuda a acompanhar o quanto você está progredindo e a mensurar mais detalhadamente o que você conseguiu (ou não) realizar em cada parte do processo. Isso é especialmente útil para afastar a sensação de insegurança quando alguma parte não saiu bem como você queria – e você diminui os riscos de desanimar pois ainda consegue visualizar outras frações que estão melhor ajustadas.

Vejamos um exemplo (cada uma das etapas será detalhada adiante, neste post ou em outros linkados aqui):

Você organizou a montagem da sua campanha em 5 etapas, que seguem essa sequência cronológica:

  • mapeamento de objetivos e adequação de metas;
  • elaboração de recompensas;
  • redação do texto de apresentação e do plano de comunicação de divulgação da campanha;
  • roteiro e produção do vídeo de campanha;
  • revisão final de visualização do todo e planejamento de lançamento.

Pode ser que de início, o seu vídeo de campanha não fique tão maravilhoso quanto você tenha idealizado mas em compensação suas metas são inspiradoras e o texto de apresentação é geniail! Então quando chegar na etapa de lançamento, você irá colocar energia em contemplar melhor seus pontos fortes de campanha,  durante a divulgação inicial dela. Mais adiante, já com a campanha em andamento, você pode até renovar o seu vídeo e com isso dar um up na divulgação do seu FC!

Estabeleça prazos para a conclusão de cada etapa

Defina uma data-limite pra que você avance de uma etapa para a próxima. Assim você não fica eternamente estacionado(a) em uma parte da campanha, algo que pode vir a trancar seu fluxo de trabalho. Mesmo que não seja uma prática muito saudável, sabemos que muita gente tem o hábito de deixar entregas pra última hora, a famosa procrastinação… então se você funcionar assim também, estabeleça essa data pra que você possa avançar!

Não é uma regra – mas em geral você pode partir do prazo de 4 dias pra realização de cada etapa. Se você conseguir fazer em menos tempo, ótimo! Assim você vai ter tempo sobrando pra revisar com calma ou ainda pra aperfeiçoar o que você já fez. Se você demorar um pouco mais, mantenha o foco e tente não atrasar mais nas outras etapas, pra que seu trabalho não sofra com o efeito bola-de-neve!

Sugestão de leitura complementar: A ciência da procrastinação – artigo bem interessante, especialmente em sua segunda metade, com valiosas dicas pra não procrastinar.

Busque referências – mas cuidado com comparações!

É normal e saudável que você busque referências que possam enriquecer criativamente seu FC em campanhas semelhantes, de outras iniciativas. Apenas tome muito cuidado para não colocar-se em comparação injusta com o que você ver. Lembre-se que cada campanha tem suas particularidades, o que torna qualquer comparação arriscada de se fazer.

Pra não cair na armadilha de querer apenas imitar uma ação que deu super certo em outra campanha, vale usar de perguntas como:

  • Qual era o objetivo da ação proposta? Exemplo: divulgar a campanha, divulgar uma recompensa, convocar as pessoas a apoiar, informar o prazo final da campanha, pedir que o público divulgue pra sua rede de contato…
  • Quais as tarefas envolvidas em executar essa ação? Exemplo: fazer publicações diariamente nas redes sociais, enviar emails pra contatos existentes, criar artes, redigir textos, responder perguntas…
  • Quanto tempo e estrutura foram necessários? Conexão de internet, dispositivos de publicação, página em rede social, hotsite próprio, gravação e edição de vídeo, serviço de envio de newsletter, confecção de material físico…
  • Qual é o público impactado? Esse público é o mesmo que o seu? Você estaria oferecendo algo inédito ou a ideia já não seria mais tão atraente…?

O essencial aqui é colocar em perspectiva e se perguntar se o que funcionou pra outra iniciativa pode, efetivamente, funcionar pra você também.

Especule o potencial de sua campanha

Incentivamos você a perguntar-se o seguinte:

  • Existem pessoas que já conhecem meu trabalho ou é a primeira vez que irei publicá-lo?
  • Quais são os possíveis grupos, organizações e/ou perfis de pessoas interessadas no que irei publicar?
  • Como esse público gosta de ser tratado?
  • Qual é o canal por onde ele melhor pode vir a receber meus materiais?
  • Esse público tem alguma necessidade ou desejo que atualmente não é atendido, que pode vir a ser uma oportunidade de ganhar sua atenção com a minha campanha?

A maioria dos projetos de Financiamento Coletivo não tem, necessariamente, respostas precisas para as perguntas acima. Porém elas são importantes para que você possa definir as melhores estratégias de acordo com o contexto que você tem.

Se você já tem um público que acompanha seu trabalho, faça uma pesquisa com ele: pergunte o que essas pessoas querem ver ganhar força e/ou continuidade naquilo que você já faz. Esboce recompensas e mensure com esse público o quanto isso o empolga. Procure saber o que estimula seu público a apoiar você e use disso como elemento motivador na hora de pensar a divulgação de sua campanha!

Continuidade

Se você estiver realizando uma campanha de Financiamento Contínuo, lembre-se de que é essencial fazer manutenção dela – e quem sabe uma renovação periódica também. Reinvente-se, mantenha a atenção do público com você! Revisite suas metas, recompensas e o modo como você se comunica com sua comunidade apoiadora.

Exemplo: a cada dois ou três meses, crie checkpoints do andamento da sua campanha e avalie:

  • Valor arrecadado;
  • Número total de apoiadores(as);
  • Número de apoios novos recebidos a cada mês;
  • Quantidade e intervalo das interações, das conversas que você faz com seu público;
  • Taxa de retorno do público a partir dessas interações.

Não tema a mudança, encare-a como uma oportunidade de explorar novos horizontes e de progredir junto de sua comunidade apoiadora!

Bônus: dicas válida pra várias etapas da criação do seu FC:

  • Constantemente busque visualizar o que a tarefa/etapa na qual você está vai representar no todo do seu fluxo de trabalho, e o quanto ela é estratégica em termos de objetivo de projeto. Isso clareia o quanto vale ou não investir recursos (financeiros ou outros) em cada uma das opções colocadas. Exemplo: se seu público está mais preocupado em apoiar você pra que sua meta seja alcançada o mais rápido possível, questione-se o quanto vale a pena você dedicar energia em oferecer agora alguma recompensa. Talvez você possa criar recompensas em um segundo momento? Talvez as recompensas possam surgir a partir do alcance das suas metas..? 
  • Mantenha um documento/arquivo como repositório de ideias, pra que você possa ir guardando em segurança aqueles insights geniais que você teve mas que talvez não seja a melhor hora pra executar. Mais adiante, quando for a hora de pensar rápido em alguma solução, você já terá meio caminho andado  😉

Pra lapidar ainda mais seu Financiamento Coletivo, lembre de acompanhar nosso blog, de assinar nossa newletter e de seguir nossos perfis nas redes sociais:
Instagram | Facebook | Twitter 🙂

Texto: Sheila, com revisão de Ilana
Imagem destacada: John Schnobrich

Tags:
0 shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *