Na semana que passou fui convidada para participar de uma live no Instagram com o pessoal do Bazar Ógente, feira criativa realizada em São Paulo desde 2009, idealizada pelas designers Rosy MacQueen e Patrícia Toyama. A feira de dia das mães foi cancelada e ainda não é possível saber quando o próximo encontro acontecerá.

“O Ógente une micronegócios que são feitos à mão e com carinho, mas com empenho de empresa […] Hoje tem o objetivo de fomentar a economia criativa reunindo, no mundo offline, designers e artesãos emergentes no cenário artesanal online.”

Em tempos de corona e distanciamento social, o mundo online passou a ser o principal canal onde as interações acontecem, e esses profissionais da economia criativa se viram profundamente impactados com a suspensão de atividades presenciais onde comercializavam suas produções. 

Com a intenção de promover alternativas para as iniciativas que integram essa rede, Rosy convidou a APOIA.se para falar com o pessoal sobre como o financiamento coletivo pode ajudar pequenos negócios criativos a enfrentarem o período de Covid-19?

Para quem não pode acompanhar, venho aqui compartilhar com vocês os principais tópicos abordados na nossa conversa.

1) Modalidades de Financiamento Coletivo para pequenos negócios

🚀 Pontual Meta Livre

Esse modelo é aquele mais tradicional de financiamento, sabe? Indicado para aqueles projetos que têm início, meio e fim bem definidos. Ah, como aqui a meta é livre, os projetos recebem o valor apoiado sim ou sim, tendo ou não atingido a meta de arrecadação que estabeleceram.

Exemplos de negócios que podem receber apoios em Campanha Pontual:

  • Compra de material para uma nova produção;
  • Pré-venda de seu produto para entrega futura;
  • Desenvolvimento de um curso com o conhecimento que só você tem
  • Arrecadação de verba para pagar as contas básicas desse período sem vendas, entre outros.

🚀 Contínua por Mês

Funciona como um clube de assinaturas, onde os(as) apoiadores(as) são cobrados mês após mês, em uma relação de longo prazo com você e seu trabalho.

Uma campanha recorrente é ideal para a sustentabilidade contínua de seu fazer. 

Exemplos de negócios para campanhas recorrentes:

  • Um grupo de troca de conhecimentos;
  • Produção mensal de uma revista;
  • Projeto social;
  • Venda contínua de produtos ou serviços, etc.

2) Como posso utilizar o financiamento coletivo para o meu tipo de negócio?

A primeira coisa de todas é identificar qual o valor que o seu trabalho tem a compartilhar com o mundo. A partir disso, o desenho de sua campanha fica muito mais fácil, pois você vai desenvolver uma proposta que realmente desperte o interesse da comunidade existente em torno de você e seu trabalho.Podemos identificar 3 principais formas de gerar valor compartilhado:

🎁 Produto físico ou serviço

Quando você produz algo ou oferece algum serviço cujo interesse das pessoas está diretamente vinculado a ele. 

Por exemplo: você produz acessórios sustentáveis, doces especiais, faz conserto de roupas, tem um brechó ou quer lançar uma nova linha de cosméticos naturais. O valor está associado a pré-venda de um produto.Nesse caso fica fácil de pensar em uma campanha onde as recompensas oferecidas são os artigos ou serviços prestados por você. 

📚 Conhecimento e educação

Quando o seu saber/conhecimento sobre algo é o que as pessoas desejam receber.

A forma mais comum de compartilhamento de conhecimento acontece através da produção de conteúdos ou experiências interativas. Por isso, uma campanha baseada em troca de conhecimento, costuma oferece enquanto recompensas o acesso a esses conteúdos exclusivos.

Pode acontecer de forma pontual, com a  disponibilização de um e-book em troca de um apoio de valor x, ou de forma contínua, como um podcast, um canal com aulas semanais, ou grupos de estudo/trabalho. 

🤝🏾 Doações

São aqueles trabalhos que inspiram as pessoas e os beneficiários podem ou não ser as pessoas que apoiaram a iniciativa. Nesses casos, o principal interesse da comunidade é que o trabalho possa se sustentar e seguir acontecendo.

Podemos ainda subdividir o interesse em doar em dois diferentes grupos:

  • Geração de valor compartilhado – O trabalho que você realiza é algo que vai ser usado por várias outras pessoas. Por exemplo, você ensina como confeccionar máscaras artesanais de proteção ao Covid, ou utilizar partes dos alimentos normalmente descartados, ou compila artigos sobre as principais técnicas de costura em seu site.
  • Rede solidária: Seu negócio tem um viés social, contribui com algum grupo mais vulnerável, ou você precisa de apoio pois suas atividades foram paralisadas devido a pandemia. Nesse caso, as pessoas doam para ajudar quem precisa e essa é a grande motivação.

Em ambos os casos, não se preocupe com a responsabilidade de oferecer mimos em troca do apoio, pois a principal recompensa é que a doação seja revertida para você e seu trabalho, para que ele siga acontecendo e, mais que isso, se fortaleça!


É online e cheio de potência!

A pandemia que estamos vivenciando está provocando importante mudanças no mundo e em nosso dia-a-dia – em como trabalhamos, nos relacionamos e produzimos. 

Em tempos de distanciamento social, a internet se mostrou mais do que nunca uma importante aliada, e o financiamento coletivo traz para o mundo online a potência das redes de apoio e, por que não, novas formas de compartilhar o valor do seu trabalho. 

Confie na sua rede e na possibilidade de se reinventar, e pode contar com a APOIA.se para te acompanhar nessa caminhada!

0 shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *