Causas sociais aumentam impacto com o financiamento coletivo para ativismo

ONGs 20 de Jul de 2022

O financiamento coletivo para ativismo pode ser a construção de uma política de grande impacto social. Embora não pareça, projetos dessa natureza estão presentes em quase todos os campos da nossa convivência.

Veja qual é a importância do financiamento coletivo para ativismo ou para os projetos sociais, e como as campanhas coletivas podem mudar a vida de muitas pessoas no percurso.

A importância do financiamento coletivo para ativismo

O financiamento coletivo para ativismo é uma das melhores formas para integrar e agregar a comunidade em torno de um problema que seja de comum interesse.

Por meio de doações pontuais ou recorrentes, os projetos de ativismo podem levar a uma maior consciência e gerar impacto positivo para o público-alvo, além de demonstrar a força de um mundo mais sustentável.

Atualmente, os projetos de ativismo se dividem em muitas esferas diferentes. Podemos observar a organização de coletivos focados para a alimentação sustentável, projetos de cozinha solidária para driblar a crescente fome no país ou, ainda, levar educação e cultura para áreas mais marginalizadas.

Seja qual for o foco, o financiamento coletivo para ativismo pode fazer toda a diferença no local em que está inserido, sendo direta e indiretamente apoiado por pessoas da própria comunidade, muitas das quais podem acabar se tornando parceiras(os) voluntárias(os) e ajudar na propagação da causa para além do bairro ou cidade.

Dessa forma, podemos entender que o financiamento coletivo para ativismo desempenha um papel social de extrema importância, especialmente em um momento necessário para anular campanhas de fake news e outros absurdos que podem se desenrolar também sob a alça social.

Como montar um projeto de crowdfunding para ativismo

A chef de cozinha Paola Carosella, o líder do PSOL Guilherme Boulos e militante do MTST posam com as camisas da iniciativa social "Cozinhas Solidárias", disponível para contribuição no APOIA.se

Desenvolver um projeto de ativismo nunca é fácil. Dependendo da atuação proposta, mudar a conscientização das pessoas pode ser um fator agravante para a demora dos bons frutos do projeto.

No entanto, ao montar um projeto de financiamento coletivo para ativismo, você consegue encontrar opções e soluções que fazem a comunidade ter maior prazer em apoiar, além de conseguirem se conectar ainda mais com o ativismo.

O financiamento coletivo para ativismo geralmente não é focado na lógica do sistema de recompensas, uma vez que a maioria dos projetos sociais não possuem fins lucrativos e são focados em uma ajuda mais recorrente para terceiros(as).

Mesmo assim, é interessante pensar em recompensas caso você decida montar um financiamento coletivo para ativismo. De imediato, não é preciso elaborar recompensas muito caras ou dispendiosas, qualquer mimo ou agradecimento possível já estabelece uma maior proximidade com a sua comunidade apoiadora.

Por exemplo, se você pensar em criar uma rede de apoio para um projeto de agricultura familiar, é interessante oferecer descontos para a compra de alimentos sem agrotóxicos ou ainda presentear os(as) apoiadores(as) com brindes sustentáveis, como sacolas de pano para serem usadas nas compras.

Isso faz com que as pessoas se sintam ainda mais conectadas com a causa e, além de oferecerem seus apoios para viabilizar a iniciativa, passem a ser frequentadoras do espaço que se torna integrativo, saudável e até mesmo educacional para crianças, jovens e adultos.

Financiamento coletivo para ativismo pode ser pontual ou recorrente

Outro ponto importante para conseguir montar um bom projeto de financiamento coletivo para ativismo é escolher estrategicamente entre as modalidades de campanha: pontual ou recorrente. Na primeira opção, você realiza uma campanha com prazo definido para o encerramento, já na segunda, os apoios ocorrem como uma espécie de assinatura.

A campanha de financiamento coletivo pontual é indicada para projetos que já sejam mais conhecidos ou que estejam na fase inicial de implementação. A verba pode ajudar na produção dos primeiros materiais ou servir para a divulgação de novas iniciativas e melhorias.

Já no financiamento coletivo recorrente, seus apoiadores(as) contribuem com um valor mensal à sua campanha de financiamento coletivo para ativismo. Dessa maneira, você consegue ter uma projeção de orçamento para todos os meses e pode investir em melhorias e até mesmo contratar pessoas para levar seu ideal ainda mais longe.

A decisão entre o formato das campanhas deve partir de uma análise mais aprofundada do seu projeto e dos impactos significativos que cada uma delas pode gerar no seu financiamento coletivo para ativismo. Portanto, é preciso um pouco de cautela e muita vontade de formalizar o projeto para não errar nas estratégias de arrecadação.

banner com imagem de um livro e os dizeres "tudo o que você precisa para ter uma campanha recorrente de sucesso" e um botão para baixar agora

Exemplos de campanhas para se inspirar

O ativismo está presente na sociedade de diversas formas. Na APOIA.se, o financiamento coletivo para ativismo vem ajudando a manter projetos educacionais e de ação humanitária pelo Brasil.

O projeto Cozinhas Solidárias, elaborado pelo MTST, é uma iniciativa não governamental que visa amenizar a fome dos brasileiros e resgatar a dignidade de quem vive em insegurança alimentar.

A ineficiência das políticas públicas para combater essa emergência alimentar levou o grupo a montar a campanha de financiamento coletivo para ativismo. Com a pandemia, a notoriedade do projeto mais do que triplicou de atenção, alcançando feitos inéditos e de grande impacto.

O orçamento é dedicado para a manutenção de 31 cozinhas ao redor do Brasil, além de ações sociais que garantem o acesso à alimentação de diversas pessoas desamparadas pelo Estado. A campanha tem caráter contínuo e você pode se tornar apoiador(a) a partir de R$15.

Já no campo educacional, o podcast Tese Onze busca ampliar o conhecimento político de jovens e adultos através de um material rico elaborado pela doutora em sociologia Sabrina Fernandes.

Também de caráter contínuo, o projeto visa ser uma fonte de conhecimento para driblar as campanhas de ódio e fake news que levam o cidadão a uma confusão de dados e fatos sobre a sociedade em torno do mundo.

Já são mais de mil apoiadores(as) somente na campanha de financiamento coletivo da da APOIA.se, mas a socióloga também reúne outros(as) interessados(as) nas suas redes sociais, fonte direta de divulgação do projeto.

Faça sua campanha na APOIA.se

Como podemos perceber, projetos ativistas auxiliam na construção de uma sociedade mais justa, saudável e conhecedora dos seus próprios direitos, e a APOIA.se se orgulha de fazer parte dessa construção.

Com valores de apoio iniciando em apenas R$1, você consegue construir um projeto do zero na plataforma e não precisa ter muitos seguidores de início para ter uma campanha de sucesso.

Acesse nosso Guia do Financiamento Coletivo Contínuo e saiba como construir seu projeto de ativismo conosco. Estamos prontos para mudar o mundo!

Marcadores

Marina Rodrigues

Formada em Cinema e Audiovisual na ESPM, atua como produtora executiva no mercado latino-americano.