3 jovens dando ajustes finais em um set de filmagens antes de uma gravação

O que é economia criativa e como ela pode auxiliar todo um país

Cultura Crowd 23 de Mar de 2022

Você sabe o que é economia criativa? Apesar de ser um conceito novo para a sociedade, esse setor econômico já vem sendo explicado por especialistas como a economia do futuro por ser melhor adaptada aos ambientes.

Apesar de ainda encararmos a economia criativa como algo distante no Brasil, ela já está em praticamente tudo que consumimos no dia a dia. Veja mais sobre o que é e como você pode trabalhar no setor iniciando seu próprio projeto.

O que é economia criativa?

Economia criativa é um termo designado para se referir ao setor econômico que trabalha diretamente com a cultura. Ou seja, audiovisual, música, apresentações teatrais e todo o universo composto por essas manifestações estão inseridos dentro da noção criativa.

Recentemente, aplicativos que facilitam a vida do usuário também passaram a englobar a economia criativa, como é o caso do Spotify e até mesmo do iFood. O setor também é visto como como uma economia do futuro, pois, além da alta capacidade de geração de emprego e renda, seu impacto é mais sustentável e engloba profissionais até mesmo de TI.

Como nasceu o conceito de economia criativa?

jovem com mãos sujas de tinta após um trabalho artístico

O conceito de economia criativa é relativamente novo na sociedade. Ele passou a ser reconhecido mundialmente após o lançamento do best-seller “The Creative Economy”, de autoria do britânico John Howkins em 2001.

No entanto, a noção da economia criativa já havia sido explorada pelo governo australiano em 1994 através do documento Creative Nation e também pelo Reino Unido ainda na década de 1980 em seu plano de governo.

Como é a economia criativa no Brasil e no mundo?

O Brasil ganhou uma Secretaria de Economia Criativa em 2012. O esforço governamental fez com que o setor representasse 2,7% do PIB em 2017, com um valor de aproximadamente R$ 171,5 bilhões, segundo dados da Firjan.

Um dos seus pilares está concentrado no empreendedorismo feminino, impulsionando carreiras e negócios de várias mulheres ao redor do país. No mundo, o impacto positivo da indústria criativa não é diferente, principalmente para as mulheres. Recentemente, a nova Lei do Audiovisual da Espanha se dedicou a aumentar o aporte em projetos de séries de TV e filmes que contem com mulheres em cargos de liderança.

Além disso, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2021 o ano oficial da economia criativa. A iniciativa foi impulsionada por diversos países que já desenvolvem bem o setor econômico, como é o caso da Austrália, Índia e China.

Um ano antes do anúncio, o setor criativo já somava uma participação de 3% para a economia mundial, movimentando US$ 2,5 bilhões ao ano e mais de 30 milhões de empregos direitos e indiretos ao redor do mundo.

A dedicação prova que, de fato, saber o que é economia criativa abre oportunidades de emprego e melhora bastante o desempenho econômico e social dos países que investem nela continuamente.

Oportunidades para trabalhar e desenvolver economia criativa

mulher negra trabalhando em seu escritório

Por ser uma economia do futuro, é natural que as oportunidades de emprego e abertura de novos negócios também residam em plataformas digitais. Até mesmo para se especializar e  entender melhor o que é economia criativa pode ser feito através da internet.

Com a facilidade dos meios de comunicação, também é possível iniciar ou dar continuidade a um projeto por meio de um crowdfunding. Através do financiamento coletivo por assinatura, você consegue angariar diferentes apoios mensalmente, o que passa a gerar uma receita financeira da qual é possível se planejar para realizar os próximos passos.

Dessa forma, seu projeto –ou até mesmo sua comunidade– podem se beneficiar com os ganhos artísticos e sociais que a economia pode trazer. Com o apoio do crowdfunding, você pode começar a ser capaz de gerar emprego e renda aos trabalhadores da sua região, seja trabalhando no projeto ou até mesmo sendo representantes da marca para outros negócios.

Não tem custo nenhum para começar um projeto de crowdfunding direto da sua casa e mobilizar sua rede de contatos para conquistar objetivos a médio e longo prazo. Além disso, a criação de novos negócios criativos também pode gerar um impacto positivo ao meio ambiente, seja na compra de materiais mais sustentáveis ou até uma empresa totalmente online.

Conheça a plataforma APOIA.se

A plataforma APOIA.se é uma das mais diversificadas quando falando em crowdfunding. Muito além de projetos voltados para o terceiro setor, é possível iniciar arrecadações voltadas para as mais diferentes áreas de conhecimento e atuação.

Se você quer aprender mais sobre economia criativa e começar a trabalhar no setor, aproveite para se inscrever na Newsletter Farol da APOIA.se para começar a tirar seu projeto do papel.

Marcadores

Marina Rodrigues

Formada em Cinema e Audiovisual na ESPM, atua como produtora executiva no mercado latino-americano.