Como ganhar dinheiro no Spotify

Música 6 de Dez de 2021

Ser um artista do ramo musical, atualmente, possibilita a pulverização do trabalho em diversas plataformas digitais. Por meio de algumas delas, existe a real possibilidade de converter acessos em renda.

Lançado em 2008, o Spotify está disponível em mais de 65 países e segue como a plataforma de streaming mais utilizada quando o assunto é música. O Spotify supera o número expressivo de 35 milhões de músicas e 2 bilhões de playlists criadas pelos usuários.

Esse grande apreço popular traz muitos benefícios para o artista independente, que pode alcançar públicos e acessos suficientes para sustentar sua carreira com a divulgação pela plataforma.

Nesse artigo, listamos alguns pontos chaves para você aprender a ganhar dinheiro com música no Spotify. Ficou interessado?! Então segue ligado(a) e não perde uma linha.

Como funciona?

Se você é um artista independente e não tem gravadora, o primeiro passo é conhecer os agregadores de música. São serviços digitais que funcionam como ponte entre os artistas e as plataformas de streaming.

O principal objetivo dos agregadores de música é o mapeamento e o cadastramento adequado do seu conteúdo. A partir dessa validação, os agregadores disponibilizam as faixas nas plataformas de música, como Spotify, Deezer, Youtube etc.

Isto porque o Spotify trabalha com a execução das músicas, contudo, o licenciamento do repertório é um  trabalho realizado por gravadoras e agregadores.

Existem ainda diretrizes específicas para colocar suas músicas no Spotify:

  • As músicas adicionadas devem ser autorais ou autorizadas por quem detém os direitos autorais das faixas;
  • Uma canção com samples ou remixes também deve ter a aprovação dos proprietários.
  • A mesma regra serve para covers: todos  precisam da autorização dos autores;
  • Informações sobre a música, como nome do álbum, artista, gênero, compositor, data de lançamento e todas as informações de identificação da obra;
  • O arquivo precisa estar no formato WAV, WAVE (que devem ser PCM) ou FLAC (de 16 ou 2 bits, com taxa de amostragem de 44,1 kHz ou superior);
  • A capa da música adequada é quadrada, com medidas em 1600X1600 e em formato PNG ou JPEG. É necessário ter o direito de usá-la e submetê-la à política de direitos autorais do Spotify;
  • A música deve incluir os nomes de seus colaboradores, incluindo artistas, intérpretes, compositores e produtores.

Para que você possa incluir suas músicas e alcançar uma audiência maior, é importante ter um perfil profissional no Spotify, assim é possível adicionar informações sobre o artista, álbuns, singles e projetos lançados.

Quanto é pago?

O pagamento que o Spotify oferece é contado com base nos royalties por reprodução. Não existe uma tabela fixa que permita um cálculo exato, mas estima-se que valor pago varia entre U$0,003 à U$0,008 dólares por reprodução.

Isso significa que a cada 1000 reproduções, o valor repassado para a gravadora ou distribuidora é de aproximadamente US $3,97.

Royalties é o valor pago pelos direitos de uso, exploração, distribuição ou comercialização por terceiros e ao proprietário dos direitos autorais de uma obra. Dessa forma, para que a plataforma reproduza suas músicas e obtenha lucro, ela deve pagar pelos royalties ao autor.

Antigamente os royalties eram arrecadados através das vendas físicas dos álbuns, mas hoje as plataformas de streaming sustentam esse repasse aos músicos.

Há ainda alguns fatores que influenciam no pagamento. O Spotify possui duas opções de conta para o usuário: grátis e premium. E o tipo de conta usada para acessar sua música contribui diretamente para os valores que o artista pode arrecadar. Na versão premium, a remuneração por play é maior.

E depois? Aposte nas playlists

Depois de lançar suas músicas no Spotify, o grande diferencial pode estar no seu planejamento de divulgação. Além de usar as redes sociais para pulverizar seu conteúdo, você pode usar o Spotify também para promover seu repertório.

Uma das melhores maneiras de fazer isso é colocar sua música em uma grande playlist. Geralmente os curadores são influenciadores musicais e o público tem apreço pelas indicações.

Você pode alcançar mais pessoas e consolidar sua base de fãs ao aparecer listado com grandes nomes do seu gênero musical.

Isso também contribui para que você seja contemplado para integrar as playlists oficiais da plataforma e ser sugerido diretamente para os usuários.

Criar sua própria playlist também é uma maneira simples de aumentar o seu alcance.

Você pode fazer uma seleção de músicas consagradas, com faixas que tenham afinidade com as suas. Assim, você expande sua popularidade e exibe suas inspirações musicais.

Crowdfunding para alavancar seu sucesso

Músicos de todo o mundo apostam no crowdfunding para financiar um projeto ou alavancar suas carreiras. O crowdfunding é o financiamento de um projeto, que reúne pessoas dispostas a investir no crescimento de uma ideia.

Na APOIA.se, um crowdfunding pode ser realizado de duas maneiras: pontual ou recorrente. No financiamento coletivo pontual o (a) apoiador(a) é convidado(a) a contribuir uma única vez. Já no crowdfunding contínuo o apoiador(a) contribui mensalmente com doações recorrentes para sustentar um projeto ou artista.

O crowdfunding contínuo é o mais adequado para quem quer ganhar dinheiro com música. Essa modalidade destaca a recorrência das doações para sustentar o artista. Nesse tipo de financiamento coletivo, uma vez por mês, os doadores(as) recebem um boleto ou são faturados em seus cartões de crédito, como em um clube de assinaturas.

As plataformas de financiamento coletivo oferecem hospedagem e ferramentas essenciais para você contar sua a história, incluir fotos, alguns vídeos e até chat com os apoiadores(as), por exemplo.

Se você chegou até aqui e ficou curioso sobre como o Crowdfunding pode te ajudar a conseguir dinheiro com música, baixe agora o Guia do Financiamento Coletivo Contínuo para aprender tudo sobre a modalidade, gratuitamente.

Marcadores

Jackeline Moraes

Community/Experience Analyst na APOIA.se, Jornalista, Especialista em Filosofia da Religião, Licenciada em Letras e Educadora Social