5 formas de conseguir capital para o seu projeto

Dicas Para Sua Campanha Nov 19, 2021

Para conseguir dinheiro para um projeto, você pode contar consigo mesmo ou com terceiros investidores.

Para tirar uma ideia do papel, você precisa de dinheiro, não é mesmo? Até quando o projeto é simples, ele demanda investimento para começar.

Se você precisa arrecadar capital para iniciar suas ações, há uma boa notícia: existem vários modos de fazer isso.

Porém, cada forma de conseguir dinheiro é mais indicado para um perfil ou outro de projeto. Então, você precisa avaliar qual combina com o que você pretende. Continue lendo para saber mais!

Qual o momento ideal de buscar capital para um projeto

Para buscar capital para um projeto, é interessante essencial que você já o tenha planejado totalmente. Nos mínimos detalhes, com um plano de negócio estabelecido e sabendo de quanto dinheiro vai precisar.

A partir daí, você poderá planejar como conseguir o capital. Isso é importante porque tentar várias formas de conseguir valores vai demandar tempo, esforço e pode não sair como o planejado.

Então, sabendo do que você precisa, você deve analisar cada uma das suas opções para financiar o projeto. Em seguida, entenda quando fazer e que prazo você vai executar a tarefa. Se você quer iniciar logo o projeto, por exemplo, precisa criar um plano que arrecade fundos de forma mais rápida.

Dessa forma, o momento ideal para buscar capital para o projeto é quando ele já está planejado e só precisa de dinheiro para começar. Mas lembre-se que você precisa ter cuidado sobre como fazer isso.

Além disso, tenha a certeza de que você terá tempo para iniciar as suas ações. Conseguir dinheiro e deixá-lo parado depois, sem executar nada, vai criar a desconfiança de quem investir. Sem contar que você pode acabar desanimando com o plano, e aí terá problemas para devolver o dinheiro.

5 formas de conseguir capital para um projeto

Conseguir capital para um projeto pode ser uma tarefa árdua, mas existem várias opções para fazer. O importante é entender cada uma delas e descobrir qual será mais vantajosa para o seu caso. Veja abaixo.

1. Crowdfunding

O crowdfunding nada mais é do que uma “vaquinha”, em que várias pessoas vão contribuir para o projeto doando dinheiro. A diferença do Crowdfunding para a Vaquinha é que normalmente o Crowdfunding tem mais presente essa troca entre quem cria e quem apoia.

O modo mais fácil de fazer essa arrecadação é pela internet. Existem vários sites, como a APOIA.se que permitem programar um crowdfunding e chamar as pessoas para contribuírem.

Costuma ser uma saída bem-sucedida para artistas independentes, podcasts e youtubers por exemplo. Ou então para projetos que terão impacto social. Mas não há limites para se tentar essa “vaquinha” virtual; você só vai precisar convencer as pessoas de que seu projeto é válido e de que a doação vai valer a pena.

2. Investidor anjo

Um investidor anjo é alguém que tem dinheiro para aplicar, e então investe em um projeto que lhe chama a atenção.

Normalmente, o investidor anjo faz apenas isso: o investimento. Porém, também há casos em que ele pode ter poder de decisão no negócio, apesar de isso ser menos comum. O importante é que as duas partes, investidor e você, negociem a participação dele no projeto.

Uma coisa interessante dos investidores anjos é que eles geralmente investem em ramos que conhecem. Assim, podem oferecer também sua experiência para o projeto, ajudando a desenvolvê-lo.

3. Venture Capital

O Venture Capital é uma forma de investimento em que empresas ou pessoas compram ações do projeto, da empresa que será financiada.

Essas ações são minoritárias. Por isso, o controle do projeto continuaria em suas mãos. É uma opção interessante principalmente para quando os trabalhos estão no início, mas mostram grande potencial.

4. Por iniciativa privada (empréstimos)

Até aqui, você viu oportunidades de financiamento que vêm de outras pessoas. Ou seja, terceiros investem no projeto, podendo ou não interferir nele. Mas você também pode fazer seu próprio financiamento, usando de um empréstimo.

Empréstimo com garantia

O empréstimo com garantia também é conhecido como refinanciamento. Ele pode ser feito com bens como um carro, imóvel, moto ou outros.

Funciona assim: tendo um bem em seu nome, você vai oferecê-lo ao banco como garantia de pagamento. “Em troca”, a financeira vai disponibilizar os valores de empréstimo solicitados.

É importante dizer que o bem dado como garantia continuará a ser seu. O banco só poderá “tomá-lo” se você deixar o débito em aberto. Então, o imóvel, carro etc. será usado para quitação do débito.

Algo interessante do refinanciamento é que ele é mais seguro para a credora. Afinal, se ela não for paga com as parcelas, vai usar o bem para quitação.

Essa segurança maior permite que você, como usuário, conte com condições mais atraentes. Especialmente os juros, que são mais baixos no refinanciamento.

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal é uma opção simples de conseguir. Em geral, o banco só vai analisar se você tem o nome limpo, e então vai liberar os valores.

Ele pode ser uma boa alternativa se você não tem bens para fazer um refinanciamento. Mas é importante planejar bem esse crédito, porque ele costuma ter juros mais altos.

5. Equity crowdfunding

O equity crowdfunding é semelhante ao crowdfunding, que explicamos agora há pouco. Mas ele não é somente uma “vaquinha” virtual: em troca da sua doação, as pessoas recebem uma ação da empresa.

Ou seja, elas passam a ter parte do projeto, e vão ganhar em cima do seu lucro. É uma transação do mercado de capitais, muito comum em startups.

Considerações finais

A palavra-chave para iniciar um projeto é planejamento. Você precisa planejar o projeto em si, depois como financiá-lo e, finalmente, como colocá-lo em prática.

Tudo isso será fundamental para o sucesso do que você pretende. Isso porque, ações tomadas ao acaso, ou mesmo sem reflexão, podem ter grandes efeitos no projeto. E efeitos ruins, uma vez que haverá uma cadeia de reflexos e você não terá se preparado para eles.

É por isso, por exemplo, que especialistas sempre destacam a importância de fazer um plano de negócios para uma empresa. Assim como planejar a vida financeira do projeto, uma vez que você vai precisar investir para tirá-lo do papel, e depois para mantê-lo funcionando.

Aliás, esse é um ponto muito importante. Lembre-se de que, além do investimento inicial, você vai precisar de capital de giro para suas ações. Do contrário, não será possível manter o seu plano “girando”.

Foto de Joslyn Pickens no Pexels

Juros Baixos

O Juros Baixos tem o objetivo de tornar fácil a missão de contratar um empréstimo, mostrando de uma maneira simples as diferentes taxas dos bancos. Também ensinamos sobre finanças no YouTube!

Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.