Como vender música pela internet: 4 formas descomplicadas

Música 8 de Dez de 2021

A era do streaming cresceu bastante durante o período da pandemia. Somente as plataformas de música cresceram 35% durante os meses de isolamento. Isso acelerou uma tendência já esperada e os serviços abriram mais possibilidades para os artistas mais independentes.

Com as dinâmicas de trabalho cada vez mais substituídas para o home office, saber como vender música pela internet pode ser ideal para você conseguir se focar cada vez mais no trabalho que tanto te faz bem, e ainda ser bem remunerado por isso.

Para te ajudar, separamos 4 maneiras descomplicadas para você conquistar o público ideal, vender sua arte musical na internet e conseguir uma fonte de renda bem mais recorrente. Acompanhe!

Vale a pena expor o trabalho musical na internet?

Atualmente, a internet é um meio bastante utilizado por diversos profissionais. Para quem está inserido em uma área audiovisual, como é a música, o mundo online pode reunir muitas novas possibilidades.

Com a construção de um canal no YouTube e a publicação recorrente de vídeos no Instagram, o músico independente consegue chegar a mais pessoas e, consequentemente, a novos contratos de trabalho.

Saber como vender música pela internet também está bastante atrelado às regras e práticas do marketing digital, portanto, prospectar um público nas redes sociais é fundamental para atingir novos usuários e clientes interessados em comprar sua música.

Quanto vale uma letra de música para vender?

Saber como vender música pela internet também implica em entender um pouco mais sobre as remunerações que você, enquanto artista independente, pode chegar a ganhar caso queira vender uma letra para outro intérprete.

Apesar de não ser fácil se manter relevante no mercado musical, uma letra de música pode valer entre R$1.000 e R$50.000 ou ainda mais que isso, a depender do caso. Algumas técnicas de negociação e proteção dos ganhos autorais e patrimoniais podem ser discutidas em contrato.

Essa estimativa é importante para que você não venda seu trabalho por um preço muito barato, enquanto outras pessoas podem acabar lucrando muito mais.

Para evitar essa desproporção, você pode optar por outras formas de vender música online e conseguir preservar seus ganhos a longo prazo.

Como vender música pela internet: 4 maneiras para você obter sucesso

microfone profissional em estúdio

Para entender como utilizar a internet a favor da sua música independente, é importante que você conheça quais são os canais e as possibilidades para você mostrar o seu talento. Sendo assim, separamos 4 maneiras para você não perder a chance de lucrar com a sua arte!

Plataformas digitais

Se as redes sociais se apresentaram como uma grande forma para promover diversos profissionais, para os músicos, saber como vender música pela internet e aparecer nos principais canais de streaming de música é um grande passo.

É possível colocar sua música em plataformas como Apple Music e Spotify sem custos adicionais e promover seu trabalho para que a remuneração comece a chegar. O serviço de streaming Spotify tem um alcance global de mais de 71 milhões de assinantes e se mantém como a principal plataforma de reprodução.

Licenciamento

Com o crescimento de ofertas de serviço de streaming, também cresceu a possibilidade de realizar mais obras audiovisuais para cinema, TV e até mesmo publicidade. Todos os três nichos citados fazem parte da economia criativa e estão sempre precisando de músicas para compor suas trilhas sonoras.

Essa é uma grande oportunidade para o artista independente que quer saber como vender música pela internet. Geralmente o licenciamento de músicas famosas pode custar muito caro para o orçamento da produção audiovisual, isso é algo bastante favorável ao trabalho autoral e uma excelente maneira de crescer.

Dentro do mercado de licenciamento também vale destacar os games. Embora ainda não seja um negócio tão pujante no Brasil, os jogos também procuram músicas para suas trilhas. Vale aproveitar o engajamento das redes para apostar em novos clientes.

CD Baby

Fundada no fim dos anos 1990, a CD Baby é tida como a maior distribuidora mundial de música independente no universo online. A empresa já abriga mais de 650 mil artistas ao redor do mundo e continua relevante mesmo na era do streaming de música.

Manter parcerias estratégicas com o Spotify e a Apple Music pode ser ideal para você começar a vender sua música pela internet. Uma vez que o CD Baby acaba fazendo uma ponte para que os artistas mais independentes passem a ser ouvidos por um público mais amplo.

Financiamento Coletivo Recorrente

Engana-se quem pensa que o crowdfunding é algo restrito para quem produz livros, HQs e podcasts. Atualmente, as estratégias de financiamento coletivo também são voltadas para músicos, cineastas e qualquer outro tipo de produção independente.

Uma das grandes vantagens de se utilizar um financiamento coletivo recorrente é que você pode criar a sua própria base de assinantes. Ou seja, seu público presente nas redes sociais pode começar a destinar um valor mensal para que você tenha a possibilidade de seguir fazendo sua música e atraindo cada vez mais seguidores.

Na APOIA.se você pode iniciar uma campanha de crowdfunding mensal com apoios a partir de R$1. O baixo valor do apoio é ideal também para quem ainda não possui um amplo número de seguidores nas redes sociais, se tornando algo ainda mais atrativo.

Além disso, o financiamento contínuo pode proporcionar a você uma excelente previsibilidade de lucros, o que faz com que você consiga se programar para o mês seguinte sem se enrolar financeiramente.

Dentro da sua campanha exclusiva, você ainda pode pensar em outras recompensas interessantes para os apoiadores, como por exemplo um vlog contando o processo de composição musical.

Sendo assim, seu conteúdo, além de dinâmico, chega em pessoas até mesmo distante do seu gênero musical preferido. E para te ajudar, a APOIA.se disponibiliza o Guia do Financiamento Coletivo Contínuo totalmente de graça. Aproveite e venha fazer parte da nossa rede de financiamentos!

Marcadores

Marina Rodrigues

Formada em Cinema e Audiovisual na ESPM, atua como produtora executiva no mercado latino-americano.