Crowdfunding cultural: veja como tirar seu projeto do papel

Cultura Crowd 11 de Abr de 2022

O crowdfunding cultural é cada vez mais buscado por artistas e realizadores independentes que precisam de uma força para financiar seus projetos.

Com quase nenhuma burocracia, as plataformas de financiamento coletivo se tornaram uma forma para driblar a crise no setor e incentivar a continuidade da pluralidade cultural existente no Brasil.

Saiba como elaborar seu projeto para captação de recursos nas plataformas, os principais casos de sucesso e os motivos que fazem o financiamento coletivo tão relevante para as manifestações artísticas.

Como realizar um crowdfunding cultural?

O crowdfunding cultural é uma alternativa já bastante usada por artistas independentes que desejam lançar suas obras. Parte dessa preferência se deve ao fato de ser uma maneira menos burocrática para arrecadar dinheiro, além de contar com o apoio de uma comunidade engajada na ideia.

Dessa forma, o crowdfunding cultural se apresenta como uma alternativa para o lançamento de obras audiovisuais, livros, músicas e até mesmo espetáculos de teatro e música. Para saber como realizar uma campanha de sucesso, é preciso entender as necessidades do seu projeto mais a fundo.

Atualmente, plataformas como APOIA.se trabalham com dois tipos de financiamento coletivo que podem ajudar o setor cultural: o crowdfunding pontual e o recorrente. Na primeira opção, a campanha tem um prazo para encerrar, já na segunda, é possível mantê-la ativa mensalmente a partir dos valores doados por apoiadores, como em uma assinatura.

Se o intuito é captar recursos para o lançamento de um álbum musical ou um livro, o crowdfunding cultural de formato pontual pode ser o mais indicado. Com ele, você realiza o levantamento dos custos e coloca o valor como meta na plataforma para iniciar o processo de divulgação e produção do trabalho.

Para que a campanha se torne mais atrativa, é interessante pensar em recompensas que seus futuros apoiadores podem receber. Os brindes podem ser divididos de acordo com o valor doado por cada pessoa, sendo assim, lembre-se de colocar o valor que será gasto com a elaboração e o envio das lembranças junto com o orçamento final do seu crowdfunding cultural.

Banner com a imagem de um livro verde do "Guia definitivo do Financiamento Coletivo Pontual", com um botão laranja escrito "baixe agora". Ainda tem os dizeres "tudo o que você precisa saber para ter uma campanha pontual de sucesso"

Você também pode elaborar uma apresentação para colocar como descrição do seu projeto na página do crowdfunding cultural. Uma boa redação ou conteúdos multimídias são capazes de prender a atenção do(a) apoiador(a) e ajudar você a completar a meta mais rápido.

As dicas são relevantes também para quem pensa em iniciar um projeto de maneira recorrente, ou seja, através de uma espécie de assinatura mensal. Assim como no primeiro exemplo, é preciso pensar se o seu projeto faz sentido para esse tipo de campanha. Criação de podcasts, peças de teatro, cursos profissionalizantes e até mesmo pequenos e médios festivais se encaixam bastante na modalidade.

Para participar de um crowdfunding cultural, seu projeto não precisa estar atrelado a nenhum edital público, basta mobilizar sua rede e ampliar as divulgações para alcançar a meta proposta inicialmente.

Financiamento coletivo e leis de incentivo: é possível combinar?

Quatro mãos de pessoas reunidas fazendo um gesto de unir forças frente a um projeto importante.

Apesar do crowdfunding cultural ser capaz de captar recursos sem a combinação de editais de incentivo, as legislações culturais regionais ou até mesmo federais garantem a possibilidade de combinar as verbas.

Dessa maneira, você pode se inscrever em uma chamada pública do seu município ou estado visando a captação de verbas para uma das fases do projeto e complementar com o crowdfunding cultural.

Caso você já tenha um projeto em um crowdfunding cultural e deseja aplicar para um edital público, também não há restrições, basta informar no orçamento enviado para o órgão responsável o valor captado por outras vias.

A combinação entre o financiamento coletivo de crowdfunding cultural e as leis de incentivo é amplamente indicada, uma vez que alguns recursos públicos podem ser insuficientes ou resultar em uma significativa demora de liberação de verbas, o que pode acabar prejudicando o andamento do projeto.

Sendo assim, a campanha através das plataformas pode fazer com que algumas etapas andem mais rápido, além de contar com uma prestação de contas bastante desburocratizada e que pode ser realizada por você em contato direto com seus próprios apoiadores e a qualquer momento do projeto.

A importância do crowdfunding cultural na economia criativa

Silhueta de atores em um palco de teatro durante a execução de uma peça.

A cultura é um dos pilares mais importantes dentro da economia criativa. Dentro do setor é possível citar a produção de filmes, séries de TV, peças de teatro, apresentações musicais e literárias, e até mesmo o incentivo à produção de games.

Toda essa cadeia faz parte do que chamamos de economia criativa, um setor altamente lucrativo a médio e longo prazo que é capaz de gerar emprego e renda para toda uma comunidade.

Nos últimos anos, o corte de verbas no setor cultural resultou na incapacidade da realização de diversos projetos importantes para cidades que são economicamente estratégicas para a economia criativa. Para driblar o cenário desolador, produtores de festivais de cinema passaram a contar com o crowdfunding cultural.

Um dos casos de sucesso na utilização do crowdfunding cultural nos últimos anos é o Festival do Rio. O evento, que tem um protagonismo relevante também internacionalmente, realizou sua edição de 2019 por meio do financiamento coletivo e apoio de algumas marcas patrocinadoras.

O caso acabou sendo uma referência para outros realizadores de festivais e mostras na mesma situação, como foi o caso do Anima Mundi que chegou a receber mais de R$ 400 mil em doações para que a sua edição, também de 2019, pudesse ser realizada.

Apesar de o apoio público continuar sendo extremamente importante para o sucesso da economia criativa, o financiamento coletivo vem se mostrando um grande aliado, principalmente para artistas independentes que acabam não conseguindo grandes patrocínios por meio da dedução fiscal presente nas leis de incentivo à cultura.

Além disso, o sucesso do crowdfunding cultural pode chamar a atenção de empresas que já se dedicam a patrocinar projetos artísticos, facilitando assim o acesso do produtor(a) independente para futuras parcerias.

Se você tem o intuito de viabilizar um projeto cultural por meio do crowdfunding mas ainda possui dúvidas, aproveite para acessar a Biblioteca APOIA.se e saiba mais como elaborar uma campanha lucrativa!

Banner com a pergunta "que tal uma consultoria sobre crowdfunding?" em destaque. E com um botão verde escrito "quero me inscrever"

Marcadores

Marina Rodrigues

Formada em Cinema e Audiovisual na ESPM, atua como produtora executiva no mercado latino-americano.