Crowdfunding e podcast: como financiar sua voz para o que acredita

Podcaster 29 de Nov de 2021

O podcast já é uma realidade no mundo virtual desde 2004, no entanto, sua popularidade tem crescido exponencialmente nos últimos anos. Com o auxílio das redes sociais, diversos criadores de conteúdo tentam manter um trabalho original e de qualidade nessa mídia.

Para manter a regularidade e atrair cada vez mais ouvintes, é preciso recorrer a fontes de incentivo para captar recursos financeiros. Pela falta de atenção das políticas públicas para o gênero, o crowdfunding para podcast se tornou uma grande alternativa.

Saiba como uma plataforma de financiamento coletivo pode ajudar o seu projeto a evoluir, desde boas técnicas de escrita até um bom conteúdo sendo postado regularmente.

Como financiar o meu podcast?

Assim como qualquer outra produção de conteúdo, o podcast precisa ter um bom trabalho de curadoria, captação de som e, consequentemente, uma edição que prenda o ouvinte até o final do episódio.

Para isso, além do tempo que se precisa ter disponível para realizar a produção, é preciso saber investir em um bom crowdfunding para podcast. A partir dessa campanha, seu projeto ganha não só mais visibilidade, como garante subsídios para a compra de materiais de qualidade e até mesmo o pagamento de profissionais.

Com o passar do tempo, muitos produtores de conteúdo acabam conseguindo manter uma renda fixa por mês com o trabalho da internet, trazendo não só mais qualidade para o conteúdo publicado, como também uma grande satisfação pessoal.

O caminho para conquistar o ganho financeiro não é fácil, entretanto, há a possibilidade de procurar dicas e materiais de estudo que auxiliem na composição de uma campanha sólida e mais recorrente.

Para que isso seja alcançado, plataformas como APOIA.se vem auxiliando no crescimento de diversos produtores independentes e com campanhas realistas a partir de R$1.

Independentemente do número de seguidores, você pode iniciar um projeto de financiamento coletivo e angariar fundos enquanto aumenta a sua audiência. Através do Financiamento Coletivo Recorrente, é possível garantir um apoio mensal e ideal para cobrir os custos.

Crowdfunding e podcast no APOIA.se Talks

Recentemente, nosso APOIA.se Talks no Instagram recebeu o podcaster Vítor Soares, do programa História em Meia Hora. O professor, natural de Itajaí, no Rio de Janeiro, traz uma maneira mais leve de aprender, e leva uma grande parcela de ouvintes com ele.

Segundo Vítor, viver de podcast era um sonho desde o começo da sua produção, mas passou a ser possível somente depois de iniciar sua campanha de Financiamento Coletivo Recorrente aqui na APOIA.se.

Professor desde 2013, Vítor se desdobrava entre aulas presenciais –– e no EAD após a pandemia –– e a produção de conteúdo. No entanto, mesmo com poucos seguidores em redes sociais como o Twitter, o produtor conseguiu bater 3 metas iniciais já na primeira semana com a campanha de financiamento coletivo no ar.

Durante a entrevista, Vítor também expressou a importância que foi receber, dos apoiadores, mensagens positivas e motivadoras para que ele continuasse com os trabalhos. Esse apoio foi essencial para que o professor pudesse trocar a sala de aula pelo estúdio de gravação.

A partir de R$10, você consegue se tornar um apoiador(a) do podcast do Vítor, mas pode lançar o seu próprio projeto cobrando um apoio contínuo a partir de R$1. Na APOIA.se, acreditamos que todos os trabalhos são importantes.

Com um sistema de assinatura que se renova a cada mês, Vítor e outros produtores de conteúdo conseguem prever seus ganhos com muito mais certeza, sabendo ainda como irão investir os recursos e até mesmo se manter com ele.

Crowdfunding e podcast: histórias de sucesso que foram para o mundo

O caso do Vítor não é raridade. Na APOIA.se já são mais de mil projetos independentes de podcasts que podem ser inspiradores para você iniciar ou dar continuidade ao seu próprio. É possível falar sobre educação, cultura, atualidades, etc.

Um dos casos mais notáveis da nossa plataforma é, sem dúvidas, o podcast Não Inviabilize, produzido pela Déia Freitas. Com histórias rápidas que raramente chegam a meia hora, Déia compartilha casos e acasos de pessoas comuns a partir de relatos recebidos pelos envolvidos(as).

Com uma campanha mensal de valor único de R$10, Déia já mobiliza 420 mil ouvintes nas principais plataformas de áudio do país, rendendo mais de 85 mil reproduções por episódios e estando no top 10 mais ouvidos do Spotify.

Com simplicidade, bom humor e vontade de contar histórias sempre distintas, o podcast Não Invabilize se tornou referência para quem quer apostar no modelo monólogo e sem ultrapassar um limite de tempo. E tudo isso graças a um bom crowdfunding recorrente.

Podcasts na pandemia

homem e mulher conversam em uma mesa para a gravação de podcast, há objetos como dois microfones e copos. Eles usam fone de ouvido

O mundo vasto do podcast vem desconhecendo cada vez mais fronteiras para o conteúdo, sendo uma mídia extremamente importante também durante a pandemia. Uma companhia e uma distração para quem precisou de um apoio extra.

Segundo uma pesquisa divulgada pelo Grupo Globo, cerca de 57% das pessoas iniciaram o hábito de ouvir algum podcast durante a pandemia. O número também cresceu entre quem já consumia o formato, ficando em 31% aqueles que aumentaram o número de programas ouvidos.

Essa tendência de crescimento tem tudo para se manter nos próximos anos. Uma grande aliada do trabalho remoto, a diversão informativa do podcast ajuda a manter a produtividade das pessoas, além de incentivar o criador de conteúdo a seguir produzindo cada vez melhor.

Com algumas empresas investindo na continuidade do home office para alguns setores, é possível, inclusive, ter uma maior mobilidade para iniciar o seu próprio projeto. Lembre-se que você pode até mesmo falar sobre nada, mas sendo sobre tudo.

No caso de a ideia de construir um projeto de podcast persistir, vale a pena visitar o nosso Guia do Financiamento Coletivo Contínuo para aprender tudo sobre essa modalidade e começar com o pé direito. O conteúdo é inteiramente gratuito. Aproveite!

Marcadores

Marina Rodrigues

Formada em Cinema e Audiovisual na ESPM, atua como produtora executiva no mercado latino-americano.